Escrevendo com Cínthia Fragoso

"Não se desmotivem, mesmo diante de um contexto muitas vezes adverso." — Cínthia Fragoso

Cínthia Cleane Bonfim Fragoso é nordestina e feminista, artista e escritora independente, poeta e professora nascida no sertão da Bahia conhecido como Guanambi. Atualmente tem residência em Itabuna, pequena cidade localizada no sul do mesmo Estado. Mil em uma só, com a pretensão de ser sempre mais. Ama tudo o que envolve arte, livros, astrologia e unicórnios. Leitora voraz e amante de café. Acredita que a palavra é arma, mas, antes de tudo, é ferramenta de cura.

Dando sequência para nossa série de entrevistas com autores da Palavra & Verso, trazemos aqui um pouco da trajetória literária de Cínthia, bem como suas inspirações, seus próximos projetos, etc. Confira:



Palavra & Verso - Você sempre quis ser escritora? Quem mais te deu apoio no início da sua carreira literária?

Cínthia Fragoso - Na verdade, não. Eu nunca me vi como escritora, apesar de sempre escrever. Eu acreditava que ninguém devia ler meus escritos e os guardava a sete chaves até que, durante a pandemia, comecei a divulgá-los no meu Instagram pessoal. Alguns amigos começaram a comentar, se identificar e repostar, e isso foi o fomento que eu precisava, a força propulsora. Ver que outras pessoas sentiam como eu foi um alívio. Paralelo a isso, começaram a me marcar em editais de antologias e premiações. Em um deles, que foi um Concurso Nacional, participei de tive meu poema selecionado. Posso dizer que foi a partir daí que comecei a acreditar mais em mim e a me ver como escritora, criei meu IG profissional e cheguei onde estou.



Palavra & Verso - O que a escrita representa para você? Fale um pouco sobre o seu gênero de escrita, a poesia, e qual é a importância dela em sua vida como leitora e poetisa.

Cínthia Fragoso - Para mim a escrita é vento e fogo na mesma proporção. O vento pode acalentar um dia muito quente, ou destruir estruturas velhas e arcaicas. Para mim, a escrita deve ser isso: revolução, acalanto e cura; espero que a minha consiga alcançar esse objetivo. Por isso quero que minha escrita alcance quem lê. Independente de como, afinal a literatura está aqui para isso. E se a literatura me salvou diversas vezes, espero também que de alguma forma, mesmo que mínima, eu também salve, afinal o texto sai da gente de uma forma e o leitor o transforma a partir do seu mundo. Transito de forma intuitiva em vários gêneros textuais, da poesia ao conto, das crônicas às colunas de revistas. Tento adequar meus sentimentos e pensamentos às estruturas que preciso e me sinto mais confortável. Por isso tento deixar ao máximo as minhas produções acessíveis e que tratem sobre temas comuns a todos para gerar identificação.



Palavra & Verso - Como é a sua rotina de escrita? Você escreve com que frequência?

Cínthia Fragoso - Eu costumo escrever de forma muito intuitiva. Geralmente diversas frases me vêm à mente durante o dia e vou escrevendo-as para depois buscar elaborá-las melhor. Então, escrevo um pouco todo dia, mas os textos completos demoram alguns dias para ficar prontos, justamente porque tento maturá-los antes de colocar no mundo.


Palavra & Verso - Ainda em relação a escrita, o que mais te motiva a escrever? Fale um pouco sobre suas principais inspirações.

Cínthia Fragoso - O sentimento humano e minha reflexão sobre ele. O que vejo no mundo, o que observo de errado, mas também o que vejo como certo. Procuro me inspirar não somente no que eu sinto, mas sobretudo no que eu vejo, nas sutilezas. Isso que me motiva e me faz não parar. Se deixo as palavras engasgadas isso não colabora para mim, quanto mais para quem lê.


Palavra & Verso - Quais são os seus poetas favoritos, que você indicaria para quem quer começar a ler poesia?

Cínthia Fragoso - Me inspiro muito na literatura por mulheres, sobretudo mulheres pretas: pela potência, ancestralidade e denúncias genuínas que levantam. Indico fortemente os livros de poesia para quem quer começar. Os da Ryane Leão e Rupi Kaur me inspiraram e inspiram muito. Além delas, Conceição Evaristo, Chimamanda Adichie, Upile Chisala, Tatiana Nascimento e Carol Dall Farra que são gigantes em suas escritas e por isso, tornaram-se leitura obrigatória.



Palavra & Verso - Fale um pouco sobre como veio a inspiração inicial para o seu livro “Escrevendo para elas”, e como surgiu a ideia para o título.

Cínthia Fragoso - O título veio de forma muito natural. Quando o meu Instagram ainda era pessoal, senti a necessidade de conhecer a história de outras mulheres para escrever sobre algo além de mim. Sabendo que nós, mulheres, somos fomentadas a nos rivalizar e ver-nos de uma forma extremamente injusta, o meu objetivo era enaltecer e mostrar um lado que muitas, talvez, ainda não conheciam. Por isso “Escrevendo para elas”. Eu queria escrever, mas não para qualquer público ou qualquer coisa. Eu sabia que precisava ser para mulheres. No processo, conheci muito sobre mim também.



Palavra & Verso - Em “Escrevendo para elas”, conhecemos um pouco do seu universo poético. Quais as principais temáticas estão sendo abordadas na obra?

Cínthia Fragoso - Enaltecimento feminino, ancestralidade, poesia familiar, militância. No “Escrevendo para elas” visito a história de mulheres da minha família, algumas amigas e outras voluntárias que se inscreveram na época do projeto que estão espalhadas pelo Brasil.



Palavra & Verso - Com o livro “Escrevendo para elas”, como você sente que foi a recepção, por parte do público de leitores?

Cínthia Fragoso - Como não tinha condições financeiras de arcar com a publicação, busquei patrocínios e montei o financiamento coletivo com o objetivo de fazer a publicação. Isso foi um divisor de águas pois através das campanhas percebi uma receptividade excelente do público, conseguindo alcançar a meta em pouco tempo, inclusive ultrapassando-a. Também tivemos que aumentar a quantidade de exemplares pois o que havíamos pensado inicialmente não foi suficiente.


Palavra & Verso - Você produz conteúdo para o Instagram; fale um pouco sobre como é a rotina de fazer o material para divulgar nas redes sociais, e como é a dinâmica de interagir com seus leitores on-line.

Cínthia Fragoso - Eu tenho uma rede de apoio muito fiel e que também tem crescido. Atualmente tenho tentado não ser tão exigente quanto às postagens diárias. Tenho prezado pela qualidade e não pela quantidade, por isso posto somente quando me sinto bem com os textos. Claro que busco sempre interagir com os que me seguem, visitando suas páginas e compartilhando seus textos sempre que possível. Também me preocupo em haver sempre um contato direto com os leitores, por isso sempre busco responder os comentários, directs, e-mails, enfim. Faço o possível com o tempo que tenho.



Palavra & Verso - Você tem muitos projetos em mente? Pode falar sobre algum deles? Fale um pouco sobre sua trajetória literária.

Cínthia Fragoso - Tenho trabalhado na organização de um livro de poesias que pretendo publicar ano que vem. Também tenho engatinhado em um romance, mas com certa dificuldade pois admito que sou muito autocrítica e pretendo ter personagens realistas e bem elaborados. Basicamente tenho conciliado isso com poesias e/ou crônicas que surgem semanalmente e publicado nas redes sociais.



Palavra & Verso - Gostaria de deixar um recado de motivação para novos escritores continuarem a buscar por seus sonhos?

Cínthia Fragoso - Não parem. Não se desmotivem, mesmo diante de um contexto muitas vezes adverso. Sabemos que a literatura no Brasil tem passado por um perigo evidente. Mas, ainda assim, que nossas produções ecoem pois, sem dúvida, elas salvam. Prossigam, produzam e sejam a resistência.



#entrevista #literatura #nacional

53 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo