top of page

Por trás das palavras de Matheus Lachaitis

"Acredite que suas ideias e histórias têm um grande potencial e um dia poderão alcançar muitas vidas."

Nascido e criado na cidade de São Paulo, Matheus sempre teve um grande interesse por histórias de fantasia em jogos, filmes e principalmente livros. Desde pequeno era fascinado por obras como Nárnia, Senhor dos Anéis, A Guerra dos Tronos e The Witcher. Seu amor pela leitura apenas foi se expandindo e intensificando com o passar dos anos.

Em 2015, foi inspirado por suas obras favoritas e histórias que gostava de criar em seus jogos e aventuras de RPG, tendo seu pai como uma grande motivação, por ele também ter sido um escritor. Com isso, deixou sua imaginação voar e criou os primeiros pilares de um universo próprio. Em histórias que se passam num longo período medieval, num mundo fantástico chamado de Kingsland. Apesar de seus rascunhos iniciais terem sido deixados de lado por um breve período, o forte desejo e o chamado da escrita nunca saíram de sua mente. Pois as ideias apenas cresceram e em suas anotações, desenhos e novos rascunhos, foram expandindo e cada vez mais esse universo foi ganhando forma. E com o passar do tempo, Matheus percebeu que havia chegado a hora de mostrar esse vasto mundo que ele criou, dando início a um possível e vasto universo de fantasia.

Dando sequência para nossa série de entrevistas com autores da Palavra & Verso, trazemos aqui um pouco da trajetória literária de Matheus, bem como suas inspirações, seus próximos projetos, etc. Confira:



Palavra & Verso - Você começou a escrever há muito tempo? Fale um pouco sobre como a escrita surgiu na sua vida.

Matheus Lachaitis - Sim. Minha jornada como escritor começou em 2015, quando estava no ensino médio e já era apaixonado por obras medievais e jogos de RPG. Senti uma grande vontade de colocar as ideias que tinha no papel e isso formou uma primeira história sobre o universo de Kingsland. E até cheguei a publicá-la no Wattpad.

Com o tempo fui percebendo que tal história estava um tanto infantil e acabei deletando. Mas o desejo de escrever um primeiro livro apenas aumentou. E ao longo dos anos fui lendo mais e aprimorando a minha escrita. Até que reuni as muitas anotações que tinha sobre Kingsland e decidi enfim escrever o meu primeiro livro: A Jornada dos Cavaleiros.


Palavra & Verso - Atualmente, como é a sua rotina de escrita? Você escreve com frequência?

Matheus Lachaitis - Tento escrever pelo menos um pouco por dia. As vezes tenho alguns bloqueios criativos, mas busco inspiração em outros livros, séries e jogos para continuar minhas novas obras do universo de Kingsland.


Palavra & Verso - Fale um pouco sobre a literatura fantástica, e qual é a importância dela em sua vida como leitor e escritor.

Matheus Lachaitis - A literatura fantástica sempre fez parte da minha vida. Então a considero extremamente importante, pois muitas dessas obras despertam a nossa imaginação e criatividade, nos levando para mundos inimagináveis, onde a realidade se mistura com a fantasia. E podemos aprender muito com isso.

Para nós escritores, esse tipo de literatura oferece infinitas possibilidades criativas, onde podemos desenvolver temas profundos e complexos, trazendo mensagens importantes num cenário fantasioso, mas que pode refletir o mundo real.

E como leitor, essas obras oferecem uma fuga do mundo real, permitindo explorar outros lugares e tempos, fazendo com que possamos nos identificar com alguns personagens e sentindo a dor deles. Obras assim, nos encorajam a olhar além do óbvio com uma mente mais aberta e criativa.


Palavra & Verso - Quais são os seus escritores favoritos, bem como os autores que influenciam a sua escrita? Cite alguns livros que você indicaria para nossos leitores.

Matheus Lachaitis - Meus autores favoritos são J. R. R. Tolkien, George R. R. Martin, Bernard Cornwell e Andrzej Sapkowski. Pessoas que escreveram obras fantásticas e que me influenciaram muito na criação do universo de Kingsland.

Com certeza indicaria O Senhor dos Anéis, os livros das Crônicas Saxônicas e do universo de The Witcher. Além do meu livro, claro.


Palavra & Verso - De onde veio a inspiração para o seu livro “A Jornada dos Cavaleiros”, e como surgiu a ideia do título?

Matheus Lachaitis - Principalmente das obras que disse anteriormente. A ideia surgiu quando quis criar uma história que apresentasse Kingsland, seu mapa, mitologia e alguns de seus personagens, em um momento importante na história deste mundo. E como a jornada de dois cavaleiros do Norte acabou influenciando esse evento tão importante.



Palavra & Verso - Em “A Jornada dos Cavaleiros”, conhecemos o mundo de Kingsland. Fale um pouco sobre como foi fazer a ambientação e criação de universo para o livro.

Matheus Lachaitis - Kingsland é um mundo que venho criando há muito tempo e sempre foi satisfatório para mim criar cada continente, cidade e reino. Pensando em como é a vegetação, clima, cultura e povo de cada lugar. Antes mesmo de escrever A Jornada dos Cavaleiros, já havia criado o grande continente do Norte (onde se passa o livro) e bastou apenas inserir os personagens nessas terras frias e montanhosas, com seus próprios Deuses e lendas.



Palavra & Verso - Como foi a criação dos personagens centrais da narrativa, Jon e Aaron? Fale um pouco sobre eles.

Matheus Lachaitis - Jon e Aaron foram personagens muito interessantes de desenvolver, pois os criei como guerreiros antigos, que já haviam passado por muitas situações tensas, mas a principal e última jornada deles estava apenas começando.

São amigos que se respeitavam e se amavam como irmãos, mesmo tendo opiniões e sonhos diferentes. Aaron é um homem cansado, que apesar de ser um grande guerreiro, busca a paz sem nenhum desejo estravagante. Já Jon, possui um temperamento mais forte e o antigo desejo por vingança que guarda em seu interior o faz ter ambições maiores. E isso acaba sendo um dos pontos mais importantes da história.



Palavra & Verso - Como você se sentiu quando publicou seu livro? Quem mais te deu apoio durante o processo?

Matheus Lachaitis - Foi uma sensação maravilhosa poder segurar o meu primeiro livro, depois de tantos anos planejando e escrevendo. Com certeza foi uma conquista muito importante e bela. Sou muito grato pelo meu pai e minha namorada que tanto me incentivaram e ajudaram enquanto eu escrevia.


Palavra & Verso - Você tem muitos projetos em mente? Pode falar sobre algum deles? Fale um pouco sobre sua trajetória literária.

Matheus Lachaitis - Com certeza. O universo de Kingsland é muito vasto e tenho muitas histórias para contar. Amo escrever sobre esse universo, podendo criar e desenvolver heróis e vilões, mostrando como o mundo e os reinos ao redor deles evolui, além de poder contar sobre jornadas e guerras de eras anteriores. Desejo poder escrever tudo isso.



Palavra & Verso - Gostaria de deixar um recado de motivação para novos escritores continuarem a buscar por seus sonhos?

Matheus Lachaitis - Escrever pode ser complicado, pois ninguém nasce um grande escritor. É preciso ler e escrever muito, enfrentando momentos de falta de criatividade, palavras que fogem e insegurança em relação à qualidade da sua obra. Mas lembrem-se de que cada escritor já passou por essas mesmas dificuldades.

Tenha paciência e foco. Acredite que suas ideias e histórias têm um grande potencial e um dia poderão alcançar muitas vidas. Nunca desista, mesmo que a jornada seja longa e o sucesso não venha no primeiro livro. Chegará o momento em que você olhará para trás e dirá que cada coisa valeu a pena. Mantenha a chama da paixão pela escrita acesa e continue buscando por seus sonhos com coragem e persistência.



97 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

留言


bottom of page