top of page

Conhecendo a escrita de Luana Bordini

"Não importa que você vá devagar, contanto que não pare."

Luana Bordini nasceu e mora em Passos, MG. Em seus momentos livres, gosta de ficar com sua família, ouvir música, ler ou escrever e até mesmo gravar vídeos com seus cosplays.

Se interessou pela escrita aos seus 14 anos, e realizou um sonho que foi publicar uma de suas histórias, graças à Editora Palavra & Verso e à sua família que a apoia e a incentiva a correr atrás de seus sonhos.

Dando sequência para nossa série de entrevistas com autores da Palavra & Verso, trazemos aqui um pouco da trajetória literária de Luana, bem como suas inspirações, seus próximos projetos, etc. Confira:



Palavra & Verso - Como é a sua rotina de escrita? Você estabelece metas para si mesma?

Luana Bordini - Estabeleço metas, sim. Todos os dias eu paro uma hora do meu dia para abrir o Word e escrever um pouco da minha próxima história. Escrevo pelo menos um capítulo por dia.


Palavra & Verso - Você escreve de maneira intuitiva? Como é o seu processo de busca por aprimoramento?

Luana Bordini - Sim, escrevo. E também depende do meu humor no dia e dos meus sentimentos. Por exemplo: se estou feliz, escrevo sobre as memórias felizes do personagem principal ou em uma conversa com algum outro personagem.


Palavra & Verso - Ainda falando sobre o seu processo de criação, quais são os desafios diários de ser escritora?

Luana Bordini - Imaginar. E os nomes também (haha). Tenho dificuldades em escolher nomes e sobrenomes dos personagens, e algumas situações são difíceis de imaginar também, então fico um tempinho bom imaginando a cena antes de escrever a mesma.


Palavra & Verso - Quem mais te apoiou no começo da sua carreira como escritora?

Luana Bordini - Meus pais e irmã. Eles sempre me apoiam em tudo, quando comecei a faculdade de Medicina Veterinária, meus cosplays, música e, principalmente, a escrita.


Palavra & Verso - Existe algum livro de Romance, Fantasia ou qualquer outro gênero que gostaria de ter escrito?

Luana Bordini - Eu gosto bastante de histórias sobre investigação com sobrenatural, como a série Supernatural. Tenho vontade de escrever - e vou escrever - algo do gênero.


Palavra & Verso - Como surgiu a ideia de escrever “Meu Lobo”? E como surgiu a idéia para o título do livro?

Luana Bordini - Na época, eu tinha uns 14 anos. Meus pais, eu e minha irmã resgatamos um cachorro da raça Pastor Canadense. Eu tinha acabado de ler A Maldição do Tigre, da autora Colleen Houck. E estava viciada nos filmes de Crepúsculo. Eu meio que juntei tudo o que estava acontecendo e saiu esse livro inspirado nessas obras. Mais à frente, quando fiz 18 anos, me apeguei muito nos livros de ACOTAR, da Sarah J. Mass, e isso me fez reler o “Meu Lobo” e mudar algumas coisas ali.

O título do livro foi basicamente como eu chamo meu cachorro (haha), ele parece bastante um lobo e eu o chamo de Meu Lobo até hoje (Ps.: ele se chama Thor).


Palavra & Verso - Como você configurou os personagens da obra? Fale um pouco sobre o processo de criação dos personagens.

Luana Bordini - Rhydian e Evelyn, eu peguei um pouco da minha personalidade com a da Anastasia Steele (50 tons de cinza) e saiu a Evelyn (haha), já o Rhydian eu peguei a personalidade dele da de Rhysand (ACOTAR) com uma mistura de Kishan (A maldição do tigre). Eu basicamente me inspiro nas personalidades dos personagens que mais me chamam a atenção ou das pessoas ao meu redor.


Palavra & Verso - Você tem muitos projetos em mente? Pode falar sobre algum deles? Fale um pouco sobre sua trajetória literária.

Luana Bordini - Tenho dois em mente. Um eu comentei em uma resposta acima, a qual envolve investigação sobrenatural. O outro é um Novo Mundo, vamos assim dizer, onde adolescentes entre 16 e 18 anos precisam se salvar e acabam se envolvendo com cientistas que fazem experiências em seus DNA’s para tentarem achar a “imortalidade”.

Minha trajetória literária… Eu peguei o gosto da leitura pelo meu pai, quando eu tinha 13 anos. Ele me apresentou a coleção Percy Jackson, do Rick Riordan, e eu me apaixonei pela literatura. Logo após, li a coleção A Maldição do Tigre, da Colleen Houck, e isso me instigou a ler mais e mais. No momento, venho lendo o livro O Ladrão de Memórias, do autor Nacional Guilherme Araújo. Contando desde os 13 anos, até hoje aos meus 21 anos, eu já li mais de 700 livros.



Palavra & Verso - Você tem dicas de divulgação para compartilhar com novos autores?

Luana Bordini - Peguem “trends” da plataforma TikTok, aquelas que estão sendo mais vistas no momento, e coloquem algo do seu livro ali no vídeo. Alguma frase marcante, alguma conversa engraçada ou tensa, algo que prenda a atenção.


Palavra & Verso - Gostaria de deixar um recado de motivação para novos escritores continuarem a buscar por seus sonhos?

Luana Bordini - Não importa que você vá devagar, contanto que não pare. Faça tudo no seu tempo, com paciência e diversão. Quando fazemos algo que gostamos e nos divertimos com isso, tudo parece perfeito ao nosso redor e mais criatividade e foco você terá. Eu levo isso para a minha vida.


Palavra & Verso - E por último, um bate e volta:

Uma pessoa: Meu pai. (Anderson Alux Bordini)

Um livro: A Maldição do Tigre (Colleen Houck)

Uma música: Power Over Me (Dermot Kennedy)

Um gênero: Fantasia

Um filme: Maze Runner



95 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page